Jesus "O Caminho, A Verdade E A Vida"

Jesus "O Caminho, A Verdade E A Vida"

A Ascensão de Jesus Aos Céus

A Ascensão de Jesus Aos Céus
Anjos Anunciam A Ascensão do Senhor Jesus Cristo Aos Céus

A Ressurreição de Jesus

A Ascensão de Jesus

Para o consenso da maioria dos cristãos, a doutrina da Ascensão afirma que o corpo de Jesus de Nazaré, depois de quarenta dias da sua Ressurreição, na presença das testemunhas dos apóstolos, ascendeu aos céus onde se encontrou na presença de Deus Pai, não só em espírito, mas também em sua pessoa humana (corpo e alma). A documentação histórica é narrada nos evangelhos de Marcos 16:19, Lucas 24:50-51, Atos 1:9-11, e Efésio 4:7-13. Este acontecimento é afirmado pela liturgia cristã, no Credo apostólico e no Credo de Nicéia.

As Promessas de Jesus Nosso Senhor

As Promessas de Jesus Nosso Senhor
As Promessas de Jesus Para Conosco

O Amor de Jesus Por Nós!!!

O Amor de Jesus Por Nós!!!

A Ascensão de Jesus aos Céus

Adonai O Senhor Altíssimo

Adonai O Senhor Altíssimo
Yeshua Jesus Cristo O Salvador

A Criação do Universo

A Criação do Universo

*** A Vinda do Filho do Homem ***

The Teacher III (vocal)

O Santo Sudário A Face de Jesus

Considerado a maior relíquia da Igreja Católica, este manto de linho puro com quase 4,5 metros de comprimento e 1,5 metros de largura, envolveu o corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo no sepulcro.
Acontece que não é um simples pano, pois ficou Estampado a Face e o Corpo de Nosso Senhor em marcas de Sangue.
Durante séculos, este lençol foi usado tanto pelos apóstolos como pelos cristãos, como sinal da Ressurreição de Cristo e levou muitos à Converter ao Cristianismo. Conta a história que reconstituiu o trajeto do manto santo, que por volta do ano 33 a 36 d.C, Tadeu (São Judas Tadeu) levou o manto que cobriu o corpo para Edessa, antiga Mesopotâmia, hoje a Turquia. Lá o rei Abgar V teria sido curado de lepra depois de venerar o manto durante dez dias.
Após séculos percorrendo lugares, provavelmente perseguido junto com toda a Igreja, o manto se encontra guardado há cerca de 434 anos na capela real da Catedral de Turim na Itália.


Porém, durante todos estes séculos e mais precisamente neste últimos, como não poderia ser, o Santo
Sudário fora por diversas vezes exposto  à análises científicas a fim de se certificar a veracidade dele. Com o aval do Papa João Paulo II, em 1988, especialistas das universidades de Oxford, Inglaterra; Zurique, Suíça e do Arizona, Estados Unidos; tiveram acesso a retalhos do pano. Ao submeter o tecido ao teste do carbono 14, usado na arqueologia para datar fósseis, concluíram que o sudário fora criado entre 1260 e 1390, sendo, portanto da Idade Média. Conclusão esta desastrosa para a ciência, pois uma década antes, 40 pesquisadores americanos pertencentes ao STURP (sigla em inglês que sígnifica: Projeto de Pesquisa do Sudário de Turim) maior grupo de especialistas que teve acesso ao manto, haviam descoberto evidências científicas aparentemente irrefutáveis indicando a autenticidade do pano. Entre elas a de que as manchas vermelhas era de sangue humano. Mas no ano 2000, um novo estudo desmente a precisão do carbono 14. Durante um congresso Mundial realizado na cidade italiana de Orvieto, o casal americano José Mariano, teólogo e Sue Benford apresentou uma posição demolidora: Os pedaços de tecido analisados no teste do carbono  14 não eram originais. Com base em fotos de amostras do carbono 14, concluíram que o pano fora remendado.


Thomas de Wesselow, um historiador de arte inglês agnóstico (nem acredita e nem duvida) e obcecado, realizou o mais completo e minucioso trabalho de análise sobre o Santo Sudário. Sua conclusão é extraordinária: "Se não é possível provar que o manto de Turim é a mortalha do corpo de Cristo, também não
existem provas conclusivas que não Seja".
Para os que não crêem que o Santo Sudário é o manto que cobriu o corpo de Jesus Cristo, o inglês apresenta irrefutáveis ponderações que com base em mais de 3000 pesquisas, medições, comparações e datações laboratoriais feitas até hoje, a relíquia não pode ser dissociada da cena bíblica narrada por São João Evangelista (JO 20, 1-8). As evidencias são claras, a estampa no manto é sim a de um homem morto há cerca de 2000 anos, crucificado com marcas nos punhos, marcas de açoites e com uma marca de dimensões oval igual a da ponta das lanças romana no lado direito do corpo entre a 4ª e a 5ª costela.
Isto significa que o Santo Sudário acaba de ser reconduzido à condição beatífica de mistério, de Relíquia Sacramentada pela Fé que não pode ser desacreditada pela ciência, diz o pesquisador. Concluo exclamando que Jesus Cristo, Verdadeiramente Ressuscitou e digo que até a ciência comprova este Mistério da Nossa Salvação.
Por Ricardo Chiconello, Missionário da Comunidade Deus Proverá
Fonte: Revista Veja 04/04/2012
Novos Céus e Nova Terra Vos Darei...

* Jesus Fala a Nicodemos *